Guerra da policia militar contra o cerol

A polícia luta diariamente para que se acabe com o cerol, já que ele é resultante de uma mistura muito perigosa para a vida.

Guerra da policia militar contra o cerol

O que é o cerol?


                     

Ele tem uma composição muito perigosa, sendo composta por pó de vidro com cola de sapateiro.

Sendo esta a principal mistura, pois costuma utilizar outras coisas também como o pó de ferro no local do vidro.

E geralmente este vidro é fruto de resíduos de lâmpadas. O cerol é proibido por lei, porém as pessoas que empinam pipa e gostam de ter certa competição então utilizam o cerol que é facilmente encontrado por um valor entre R$ 1,50 e R$ 3,50.

O perigo do ferro e acidentes

O ferro como conduz eletricidade se encontrado com um fio de alta tensão a pessoa seja facilmente eletrocutada.

Os acidentes ocorrem geralmente com motociclistas que não possuem a antena de proteção e um corte que é feito no pescoço por essa mistura pode levar uma pessoa a morte em poucos minutos pela hemorragia que dará.

É um material que acabará cortando facilmente a pele e principalmente a mão de quem passa no fio.

O cerol e a polícia

A polícia está em constante briga com as pessoas que utilizam o cerol para que deixem de utilizar, que veja o quanto é perigoso, mas não adianta, continuam utilizando irregularmente longe dos olhos da polícia.

Lei contra o cerol

O número estadual da lei é n° 12.192, que foi vigorada no dia 06/01/2006. Ela proíbe o uso de qualquer material que contenha o cerol ou semelhante ao mesmo.

Quando o infrator é um adolescente que ainda não completou 18 anos quem resposte pelo mesmo são os seus pais.

O valor do pagamento que é cobrado quando pego utilizando o cerol é de três a vinte salários.

Ocorrendo um crime de homicídio então o artigo utilizado é o 121. A pena para quem comete o homicídio é de seis a vinte anos de reclusão.

Já para quem comete lesão corporal o previsto é de três a um ano de detenção.

0 voto





Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook

X
Curta a página